Início Perfil Tumblr Ask
Bem-Vindo!
Se algumas pessoas se afastarem de você, não fique triste, isso é resposta da oração: “livrai-me de todo mal, amém”. Caio Fernando Abreu

Status!

2.06.2014
Reblogue!
2 981 notas

A defesa é automática. Não há nada que eu possa fazer, mas eu acho também que não gostaria de fazer alguma coisa. Acho que não gostaria, realmente, de carregar a responsabilidade. As decisões que eu tomo todos os dias são ridículas. Escovar os dentes ou não, tomar banho ou não, escrever ou não, me humilhar ou não, escutar músicas tristes ou não, lembrar da solidão ou não, viver ou não. Eu gostava de prender a respiração, e não faz muito tempo. Era como se por alguns segundos expulsasse os pensamentos vitais e mergulhasse num cheiro de morte, silêncio e escuridão. Talvez eu conseguisse passar até 4 minutos sem encher meus pulmões de ar e, logo em seguida, esbugalhar um pouco os olhos e me aliviar por ser um completo imbecil com mais velas no bolo pro soprar. Até que me disseram que meu poder sobre mim era uma completa farsa. Ninguém consegue morrer desse jeito. Nunca mais consegui passar além dos 5 patéticos segundos sem me desesperar e confirmar com o meu peito oscilante que eu mantinha a minha consciência no lugar. Acho que a minha vida sempre durou 5 patéticos segundos. O que vinha depois, era defesa. Espasmos. De cinco em cinco segundos, alguma hora, eu devo sair por aí caindo numa cova. Viver é uma coisa automática. Ninguém aguenta ser responsável pelo próprio sangue. Se colocassem o valor de todo o oxigênio ingerido sem moderação na minha conta (porque acredito que viver deva ser uma espécie de porre universal), eu já teria explodido em um milhão de pedaços. De novo. Os amores que deixei? Que paguem. As doenças que me comem o estômago? Que paguem. As saudades? Os orgulhos? Os centavos da passagem? Que paguem. Que paguem todos. Como eu venho apagando. Pagando. Que seja. Minha dívida é com alguma coisa dentro de mim, - essa é uma das frase que eu mais repito, e a coisa pode ser, acredite, qualquer coisa, inclusive uma coisa que nem sequer seja minha - alguma coisa dentro de mim que se apieda constantemente das estrelas que ignorei ao longo das minhas janelas fechadas e dos meus olhos envoltos por um cobertor quase sem forro. É desperdício de sanidade me aprisionar no meu mundo insano. O mundo insano que inclui doses altas de uma morfina invisível. Sem ter motivo, sem ter dor alguma. Porque a defesa é automática. Eu fico triste por um segundo, no mínimo, todos os dias. Eu fico só. É o segundo quando olho bem no fundo do poço do meu passado, e me reconheço, em perfeito estado de conservação, sem retirar uma palavra do que disse, sem pedir desculpas pra quem eu deveria pedir desculpas, sem rodar a chave na porta do meu quarto e parar com essa economia de ar, porque a conta não é minha, a responsabilidade também não. Sou quase um corpo solidário. Ainda bem. É o segundo quando me escondo na poesia, nas luzes apagadas e na música triste. Quando escovo os dentes, tomo banho, me humilho ou escrevo. De cada 5 segundos, vivo 4. Um espaço eu deixo pra ser o que sou de graça. Sem precisar escolher ser. Um segundo eu deixo pra me arrepender. E nos outros 4, eu lembro, feliz, extremamente feliz, que a culpa não é minha, nem das estrelas (desculpe), nem de ninguém. Viver é uma questão de hábito. Talvez, eu nem sequer esteja vivo agora, procurando lembrar onde eu coloquei meus remédios pra dor de cabeça, respirando. E o que vem depois, não é a morte. É espasmo, é ilusão, é crédito, é imposto, é automático. É costume.

Cinzentos. (via autorias)

(Fonte: cinzentos, via autorias)


2.06.2014
Reblogue!
44 842 notas

Não vou dizer que é fácil, e que nunca deu vontade de desistir, mas vale muito mais a pena continuar.

Tati Bernardi.   (via autorias)

(Fonte: auroriar, via autorias)


1.06.2014
Reblogue!
18 064 notas

Parei de ir atrás, eu tenho meu orgulho. Quero dizer, não tenho, mas ela não precisa saber dessa parte.

Gabito Nunes.  (via auroriar)

(Fonte: s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r, via auroriar)


1.06.2014
Reblogue!
10 980 notas

Meu epitáfio será:
“Nunca foi um bom exemplo, mas era gente fina.

Rita Lee   (via autorias)

(Fonte: c-i-t-r-i-c-a, via autorias)


1.06.2014
Reblogue!
1 403 notas

E se não quisermos, não pudermos, não soubermos, com palavras, nos dizer um pouco um para o outro, senta ao meu lado assim mesmo. Deixa os nossos olhos se encontrarem vez ou outra até nascer aquele sorriso bom que acontece quando a vida da gente se sente olhada com amor. Senta apenas ao meu lado e deixa o meu silêncio conversar com o seu. Às vezes, a gente nem precisa mesmo de palavras.

Ana Jácomo. (via autorias)

(Fonte: ana-jacomo, via autorias)


1.06.2014
Reblogue!
197 932 notas

Eu ligo muito para pequenos gestos.

(via fuckmarcio)


1.06.2014
Reblogue!
31 090 notas

(Fonte: zoiodlula, via fuckmarcio)


12.04.2014
Reblogue!
2 438 notas

Em casa de menino de rua,

fraquejou:

o último a dormir apaga a luz da lua.

(Fonte: olhosumidos, via fraquejou)


12.04.2014
Reblogue!
42 notas

Existe uma grande diferença entre quem você é e quem você quer ser. Assim como há uma distancia entre o que você quer fazer e o que pode fazer.

Deploratorio.  (via fraquejou)

(Fonte: deploratorio, via fraquejou)


12.04.2014
Reblogue!
45 587 notas

E ao fim do meu dia, eu vou querer estar com você. E vou querer te dizer as palavras que guardo muito secretamente e não cedo a ninguém, olhar para ti mais uma vez e perguntar se a realidade é tão bonita assim. Ao fim do meu dia, eu vou te abraçar antes de dormir e sentir que não importa a vida que me espera lá fora, eu estou feliz aqui com você.

Camila Costa.  (via fraquejou)

(Fonte: camilacosta, via fraquejou)

Página 1 de 231 1 2 3 4 5 6 7 8 »